Os jogos de azar apesar de proibido, empregam mais pessoas que muitas indústrias no país. Com o gigantesco número de quase 500 mil pessoas empregadas na informalidade, essa atividade gera uma receita mensal de 1 bilhão de reais. Isso falando só de jogo do bicho, pois quando abrimos este leque para cassinos, o número cresce.

 

Por estas razões a ONG Jogo Legal, vem buscando legalizar os jogos de azar. Pois, segundo eles a legalização acaba com os problemas que os governos temem:A lavagem de dinheiro.

 

Jogos de azar empregando pessoas

 

 

Atualmente somente as lotéricas possuem a permissão para veicular e oferecer jogos que dependam exclusivamente da sorte para se ganhar.

 

No entanto, mesmo proibido a mais de 70 anos, o jogo do bicho movimenta mais dinheiro que a própria loteria da Caixa. Isso de acordo com o presidente da Instituição Jogo Legal, Magno Santos de Sousa.

 

A Jogo Legal é uma ONG que faz pesquisas sobre os jogos, loterias, concursos e afins. Tem também a finalidade de regulamentar jogos que hoje estão banidos pelo governo. Pois, segundo a instituição a proibição leva ao jogo clandestino, que acaba sendo utilizado como método de corrupção.

 

Desta forma, buscam junto aos órgãos competentes criar estratégias para regulamentar e regularizar os mercados que hoje atuam na clandestinidade. Como o jogo do bicho por exemplo.

 

A proposta apresentada é que um órgão federal fique responsável por fiscalizar e liberar as licenças para cassinos, bingos e o jogo do bicho.

No entanto, a liberação para o jogo do bicho seria de responsabilidade dos municípios e do Distrito Federal.

 

Com tudo, essas autorizações teriam um prazo determinado, o que forçaria os donos de banca de bicho a sempre renovarem as suas licenças.

 

O jogo do bicho, mesmo na ilegalidade, consegue movimentar cerca de R$ 12 bilhões de reais por ano. Gerando o equivalente a 450 mil empregos diretos.

Assim, Magno fez uma comparação direta a loteria da Caixa.

 

"A Caixa comercializa suas nove loterias através de 13 mil lotéricas, enquanto a rede do jogo do bicho é de 350 mil pontos de venda por todo o país. Além disso, o jogo do bicho emprega em torno de 450 mil pessoas, todas elas praticamente, a grande maioria, na informalidade. Ou seja, legalizar as atividades seria trazer imediatamente 450 mil pessoas para o mercado formal."

 

Proibição do jogo do bicho

De acordo com o filho de Luís Carlos Prestes, o historiador Luís Carlos Prestes Junior, a proibição do jogo do bicho teve cunho meramente político.

Segundo ele, a versão oficial é só uma justificativa para o real motivo da proibição.

 

A proibição segundo ele, tinha o propósito de impedir que partidos políticos progressistas fossem financiados com verbas dos cassinos.

 

De acordo com Prestes Filho, o atual presidente da época o Dultra, tinha a ciência de que o maior acionista em cassinos era o irmão do presidente Getúlio Vargas. Benjamim Vargas era o principal acionista do cassino da Urca e o cassino Quitandinha.